Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CARTEIRO DA SAUDADE

A memória dos tempos passados é feita de objectos que a perpetuam. Aqui, cada peça conta uma história. E existe a possibilidade de ambas passarem a fazer parte da sua vida. Não falamos de antiguidades, falamos de peças com história. Desfrutem!

O CARTEIRO DA SAUDADE

A memória dos tempos passados é feita de objectos que a perpetuam. Aqui, cada peça conta uma história. E existe a possibilidade de ambas passarem a fazer parte da sua vida. Não falamos de antiguidades, falamos de peças com história. Desfrutem!

O Círio Saloio: Festas em honra de Nª. Srª. do Cabo Espichel

DSCF1809.JPG

 

 

O culto a Nossa Srª. do Cabo Espichel ou Santa Maria da Pedra da Mua é de origem medieval e uma das mais importantes manifestações de religiosidade popular do nosso país. Tudo teve inicio com o miraculoso achamento de uma imagem de Nossa Senhora num penedo junto ao Cabo Espichel, durante o século XIV. O culto ter-se-à alargado pelas localidades vizinhas da margem sul do Tejo, mas sobretudo implementar-se-ia na região saloia, do lado norte do rio. 

 

O Círio era constituído por um grupo de romeiros que levava sempre uma vela acesa (o círio). Na fase inicial do culto, os romeiros das freguesias saloias combinavam entre si organizar-se para a execução de uma procissão anual (o giro), onde cada uma delas ia, à vez, prestar culto a Nossa Senhora à sua ermida no Cabo Espichel. 

 

Desde o século XVIII, o Círio é constituído por 26 freguesias:  S. Vicente de Alcabideche, S. Romão de Carnaxide  S. Julião do Tojal, S. Pedro de Penaferrim, Nª Srª da Misericórdia de Belas, Stª Maria de Lourdes, S. Lourenço de Carnide, S. Pedro de Barcarena, S. Pedro de Lousa, Stº Antão do Tojal, Nª Srª da Purificação de Oeiras, Nª Srª do Amparo de Benfica, S. Domingos de Rana, S. João das Lampas, Nª Srª da Purificação de Montelavar, Nª Srª de Belém de Rio de Mouro, Nª Srª da Ajuda de Belém, Ascensão e Ressurreição de Cascais, Santíssimo Nome de Jesus de Odivelas, S. Martinho de Sintra, S. Pedro de Almargem do Bispo, Stº Estêvão das Galés, Nª Srª da Conceição da Igreja Nova, S. João Degolado da Terrugem, S. Saturnino de Fanhões, Stª Maria e S. Miguel de Sintra.

 

A partir de 1887 foi introduzida uma mudança no antigo ritual. Em vez da longa procissão dos romeiros até ao Cabo Espichel, instituiu-se uma imagem peregrina entregue directamente entre as freguesias, deixando de se verificar a deslocação ao santuário.

 

A peça que aqui mostramos trata-se de uma medalha cunhada por ocasião das festas em honra de Nossa Senhora do Cabo Espichel, quando esta visitou a freguesia de S. Martinho de Sintra, vila de Galamares, nos anos 1979 e 1980.

 

Para saber mais sobre esta peça:http://olx.pt/ad/medalha-nossa-sr-do-cabo-espichel-1980-IDwFO4M.html

 

 

 

Sigam-nos no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100007072242118
Sigam-nos no Pinterest: http://pt.pinterest.com/DonaHistoria/
Sigam-nos no Twitterhttps://twitter.com/Dona_Historia