Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CARTEIRO DA SAUDADE

A memória dos tempos passados é feita de objectos que a perpetuam. Aqui, cada peça conta uma história. E existe a possibilidade de ambas passarem a fazer parte da sua vida. Não falamos de antiguidades, falamos de peças com história. Desfrutem!

O CARTEIRO DA SAUDADE

A memória dos tempos passados é feita de objectos que a perpetuam. Aqui, cada peça conta uma história. E existe a possibilidade de ambas passarem a fazer parte da sua vida. Não falamos de antiguidades, falamos de peças com história. Desfrutem!

Os Corações de Portugal

coraçãodouro1.jpg

 

 

 

Estes dois corações são a prova da mestria, do saber-fazer dos artesãos portugueses. Dois corações de faiança, fabricados por experientes mãos portuguesas. Estes belos corações pertenciam ao espólio de uma senhora francesa, residente em Portugal, esposa de um médico oftalmologista. Radicada em Lisboa, na Avenida de Roma, a senhora possuía uma casa com um magnífico recheio. De entre variadas peças, note-se estas duas belíssimas caixas em forma de coração.

 

DSCF9215.JPGDSCF9216.JPG

 

 

 

Quer continuar a fazer a história destas peças? Coração d'Ouro / Coração de Flores

 

 

 

 

Um Alentejano na China

DSCF9353.JPG

 

 

 

Nascido nas cercanias de Moura, filho de mãe alentejana e pai lisboeta, cedo partiu para a capital e tirou o curso de jornalista. Corriam os loucos anos do pós-25 de Abril e, inconformado com o sistema, o jovem alentejano decide partir para as longínquas terras de Macau, onde inicia a sua carreira de jornalista. Encantado com a cultura chinesa, o jovem começa a coleccionar peças de porcelana, sabendo que a China é a detentora da maior tradição mundial na fabricação deste tipo de peças.

 

DSCF9496.JPGDSCF9513.JPG

 

Após a passagem do território para as mãos dos chineses, o jornalista continuou a laborar em Macau. Contudo, vicissitudes da sua vida pessoal e profissional levaram-no a cair em desgraça e a ter de se desfazer do seu espólio. 

Nas fotos, podemos apreciar um grande pote e uma grande talha executadas em porcelana chinesa e pintadas à mão. O pote à esquerda, em porcelana chinesa, é uma reprodução Qianlong Nian Zhi, fabricado nos anos 1960, provavelmente em Hong Kong. A grande talha em porcelana chinesa é da marca Zhongguo Zhi Zao, produzida entre o estabelecimento da República Popular da China, em 1949 e a Revolução Cultural (1965).

 

Quer continuar a fazer a história destas peças?

«Os Meninos e o Peixe» http://olx.pt/anuncio/estatueta-chinesa-os-meninos-e-o-peixe-IDyix8h.html

Pote Qianlong Nian Zhi - https://olx.pt/anuncio/pote-em-porcelana-chinesa-qianlong-nian-zhi-IDz5GxD.html

Talha Zhongguo Zhi Zao - https://olx.pt/anuncio/talha-em-porcelana-chinesa-zhongguo-zhi-zao-IDz5GDt.html

 

 

 

A Bela Caixa de Maria

 

caixa1.jpg

 

 

 

Maria sempre viveu para o lar, um pequeno palheiro num monte alentejano. Casou cedo com um homem que não sabia se amava. Depressa os filhos começaram a vir, uns após os outros, pois não sabia como evitá-los. Ao todo, Maria criou 7 filhos, com pouco dinheiro e muitas vicissitudes. Viviam numa pobre aldeia alentejana e o gado era a sua principal fonte de rendimento. Uma casa pobre.

 

caixa2.jpg

 

 

Já Maria tinha os filhos criados, quando estes lhe ofereceram, por ocasião do seu aniversário, um presente muito belo. Sonhara sempre ter uma peça em porcelana e, naquele ano, os filhos resolveram concretizar o seu sonho. Agradecidos e esmerados, os filhos ofereceram-lhe uma bela caixa de porcelana, em forma de concha, pintada à mão, a ela que tinha sido a melhor das mães. Maria adorou, nem sabia onde a haveria de colocar,  acabando por ir habitar a modesta cómoda do seu quarto de viúva. Era uma caixa linda e colorida.

 

Contudo, e como todos nós, Maria não resistiu aos anos. As suas coisas foram divididas pelos filhos e esta caixa chegou a mãos alheias. A lembrança para a melhor das mães.

 

Quer continuar a fazer a história desta peça? http://olx.pt/anuncio/caixa-de-porcelana-pintada-mo-IDyix1Z.html

 

 

 

 

 

O Busto do Papa João Paulo II

Papa1.jpg

 

 

O Santo Papa João Paulo II (1920-2005) foi o Papa e líder da Igreja Católica com o terceiro maior pontificado documentado da história, reinando por 26 anos. Foi o único Papa polaco até a sua morte, e o primeiro Papa não-italiano desde 1522.

Papa3.jpg

 

João Paulo II foi aclamado como um dos líderes mais influentes do século XX. Teve um papel fundamental para o fim do comunismo na Polónia e talvez em toda a Europa. Foi um dos líderes que mais viajaram na história, tendo visitado 129 países durante o seu pontificado. Como parte da sua ênfase especial na vocação universal à santidade, beatificou 1340 pessoas e canonizou 483 santos, quantidade maior que todos os seus predecessores juntos pelos cinco séculos passados.  Em 27 de abril de 2014, numa cerimônia inédita presidida pelo Papa Francisco, e com a presença do Papa Emérito Bento XVI, foi declarado Santo juntamente com o Papa João XXIII; a sua festa litúrgica celebra-se no dia 22 de outubro.

 

Para honrar a sua memória, uma empresa portuguesa de porcelanas fabricou, em biscuit, o busto do Santo Papa, como homenagem à sua canonização.

 

Para saber mais sobre a peça: http://olx.pt/anuncio/busto-do-papa-joo-paulo-ii-IDygSkB.html

 

 

 

 

 

Uma Peça Alemã numa Casa Portuguesa

bavaria4.jpg

 

 

Era uma mulher como qualquer outra. Nascera em Aveiro no seio de uma família de classe média. O seu avô era um homem bem conhecido por aquelas bandas, administrador de distrito, bem posicionado na administração pública. Corria os anos 50, e a pequena, que era de boas famílias, veio estudar para Lisboa. Queria ser enfermeira! 

 

bavaria5.jpg

 

 

 A enfermeira apaixonou-se por um médico, vindo a casar com ele anos mais tarde. De Aveiro, a sua mãe enviou algumas peças para o seu enxoval. De entre elas, um conjunto de porcelana alemã, chegado, não se sabe bem como, ao nosso país, que ficaria guardado na sua colecção pessoal ! Contudo, o casamento entre a medicina e a enfermagem não correu de feição. Anos mais tarde, a mulher pediu o divórcio (com grande escândalo!) e ficou sozinha com a sua filha mais velha.

 

bavaria7.jpg

 

 

Após a sua morte, a filha herdou todos os seus bens, que conservou como se fossem seus. Contudo, com o passar dos anos, a neta, pouco se lembrando da avó, quando chegou a sua vez de dar rumo aos pertencentes por ela deixados, decidiu desfazer-se daquele belo conjunto de chávena e prato de bolo, finíssimos, de porcelana alemã, fabricadas na Baviera, um dos mais belos locais do mundo.

 

 

 

 

O Bule da Mãe

DSCF8041.JPG

 

O jovem casal era oriundo de Coimbra. Haviam casado, com pompa e circunstância, na igreja do Convento de Santa Cruz, no ano em que rebentou a Guerra Colonial. Um belo e pesado bule de porcelana, fabricado pela Artibus, de Aveiro, fazia parte do seu enxoval. A jovem noiva adorava contemplá-lo no seu móvel da sala, em Lisboa, para onde se mudaram pouco tempo depois.

 

DSCF8040.JPG

 

 

Poucos meses após o casamento, o jovem foi mobilizado para Moçambique. E nunca mais voltou, deixando a jovem viúva. Com o rolar dos anos, a moça casou novamente e teve um filho. Contudo, nunca se desfez do seu magnífico enxoval e do seu bule, que havia reunido na altura do seu primeiro casamento. O seu filho herdou-o após a sua morte e, por problemas económicos, desfez-se de tudo. Inclusivamente do maravilhoso e pesado bule de porcelana, cujo exemplar chegou até nós.

 

Quer continuar a fazer a história desta peça? http://olx.pt/anuncio/bule-em-porcelana-artibus-IDyeAyw.html

 

 

 

A Terrina Pequenina do Alentejo

 

DSCF9128.JPG

 

 

 

Esta bela e incomum terrina miniatura, pintada à mão, pertencia a uma decrépita casa alentejana. As paredes ameaçavam ruína, as janelas possuíam os vidros partidos, o telhado deixava entranhar as águas da chuva. Tudo era o sinal do abandono a que a propriedade fora votada após a morte da sua última inquilina, a matriarca daquela família, que viveu noventa anos sem nunca ter saído do Alentejo.

 

DSCF9130.JPG

 

 

 

Os seus pertences ficariam ainda intactos naquela casa, 10 anos após a sua morte, até que um dos netos resolveu pôr mãos à obra e começar a reconstruir a casa que fora da sua família. Era, contudo, necessário deitar abaixo o interior da casa, ficando apenas as paredes. Que faria, contudo, ao seu recheio? Acreditando que os objectos não possuem história, o rapaz desfez-se das provas da vida da sua avó, entre elas esta belíssima e incomum terrina miniatura, tão bela que não nos deixa ficar indiferente.

 

Quer continuar a fazer a história desta peça? http://olx.pt/anuncio/terrina-miniatura-IDyeubL.html